Página inicial - Critical Care Science (CCS)

  • Correspondência

    Para: COVID-19 crítico e disfunção neurológica – uma análise comparativa direta entre o SARS-CoV-2 e outros patógenos infecciosos

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240291en

    Resumo

    Correspondência

    Para: COVID-19 crítico e disfunção neurológica – uma análise comparativa direta entre o SARS-CoV-2 e outros patógenos infecciosos

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240291en

    DOI 10.62675/2965-2774.20240291-pt

    Visualizações16
    Ao Editor Lemos com muita atenção o artigo de Teixeira-Vaz et al., um estudo de coorte prospectivo unicêntrico envolvendo 27 pacientes com a doença do coronavírus 2019 (COVID-19) que necessitaram de ventilação mecânica por mais de 48 horas devido à síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA).() Os autores observaram que, embora o comprometimento neurológico causado […]
    Ver mais
  • Correspondência

    Para: Fatores associados à mortalidade em pacientes ventilados mecanicamente com síndrome respiratória aguda grave por evolução da COVID-19

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240192en

    Resumo

    Correspondência

    Para: Fatores associados à mortalidade em pacientes ventilados mecanicamente com síndrome respiratória aguda grave por evolução da COVID-19

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240192en

    DOI 10.62675/2965-2774.20240192-pt

    Visualizações6
    Ao Editor Oliveira et al. avaliaram os fatores associados à mortalidade em 425 pacientes adultos mantidos sob ventilação mecânica (VM) com síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA) devido à doença pelo coronavírus 2019 (COVID-19) em um estudo de coorte retrospectivo e multicêntrico no Brasil.() Um dos pontos fortes do estudo é a população selecionada, mas […]
    Ver mais
  • Revisão

    Desmascarando as consequências ocultas: sequelas pós-unidade de terapia intensiva, planejamento da alta e acompanhamento a longo prazo

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240265en

    Resumo

    Revisão

    Desmascarando as consequências ocultas: sequelas pós-unidade de terapia intensiva, planejamento da alta e acompanhamento a longo prazo

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240265en

    DOI 10.62675/2965-2774.20240265-pt

    Visualizações5

    RESUMO

    Parcela significativa de indivíduos que enfrentaram doença crítica sofre de síndrome pós-cuidados intensivos, caracterizada por comprometimento novo ou exacerbado da função física, cognitiva ou de saúde mental. Além disso, os sobreviventes geralmente apresentam maior risco de consequências adversas, como infecção, eventos cardiovasculares maiores, reinternação e taxas de mortalidade elevadas, durante os meses após a hospitalização. Esses achados reforçam a necessidade urgente de prevenção e manejo eficazes da deterioração da saúde a longo prazo no ambiente de cuidados intensivos. Embora haja poucas evidências conclusivas de ensaios clínicos randomizados bem desenhados, potenciais intervenções incluem estratégias como limitação da sedação, mobilização precoce, presença da família durante a internação na unidade de terapia intensiva, implementação de programas de transição multidisciplinares (da unidade de terapia intensiva para a enfermaria e do hospital para o domicílio) e acompanhamento especializado após a alta hospitalar. Esta revisão objetiva fornecer um resumo conciso da literatura médica recente sobre os desfechos a longo prazo após doenças críticas e destacar potenciais abordagens para prevenir e abordar a deterioração da saúde de sobreviventes de cuidados intensivos.

    Ver mais
    Desmascarando as consequências ocultas: sequelas pós-unidade de terapia intensiva, planejamento da alta e acompanhamento a longo prazo
  • Artigo Original

    Avaliação das classificações de gravidade na síndrome do desconforto respiratório agudo na infância pelo Consenso de Berlim e pelo Pediatric Acute Lung Injury Consensus Conference

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240229en

    Resumo

    Artigo Original

    Avaliação das classificações de gravidade na síndrome do desconforto respiratório agudo na infância pelo Consenso de Berlim e pelo Pediatric Acute Lung Injury Consensus Conference

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240229en

    DOI 10.62675/2965-2774.20240229-pt

    Visualizações57

    RESUMO

    Objetivo

    Comparar dois métodos para definição e classificação de gravidade na síndrome do desconforto respiratório agudo pediátrica: a classificação de Berlim, que utiliza a relação entre pressão parcial de oxigênio e fração inspirada de oxigênio e a classificação do Pediatric Acute Lung Injury Consensus Conference, que utiliza o índice de oxigenação.

    Métodos

    Estudo prospectivo com pacientes de 0 – 18 anos com diagnóstico de síndrome do desconforto respiratório agudo e ventilados mecanicamente de forma invasiva, que forneceram de uma a três amostras de gasometria arterial, totalizando 140 medidas válidas. Essas medidas foram avaliadas quanto à correlação pelo teste de Spearman e à concordância pelo coeficiente kappa entre as duas classificações, inicialmente usando a população geral do estudo e, depois, subdividindo-a em pacientes com e sem broncoespasmo e com e sem o uso do bloqueador neuromuscular. Também foi verificado o efeito desses dois fatores (broncoespasmo e bloqueador neuromuscular) de forma separada e conjunta sobre ambas as classificações por meio da análise de variância para dois fatores.

    Resultados

    Na população geral, composta de 54 pacientes com idades de 0 – 18 anos, foi encontrada forte correlação negativa pelo teste de Spearman (ρ -0,91; p < 0,001) e forte concordância pelo coeficiente kappa (0,62; p < 0,001) na comparação entre Berlim e Pediatric Acute Lung Injury Consensus Conference. Nas populações com e sem broncoespasmo e com e sem o uso do bloqueador neuromuscular, os coeficientes de correlação mantiveram valores semelhantes aos da população geral. Entretanto, para os pacientes sem uso do bloqueador neuromuscular, houve maior concordância entre as classificações em relação aos pacientes com uso do bloqueador neuromuscular (kappa 0,67 versus 0,56 com p < 0,001 em ambos). Acrescenta-se ainda o efeito significativo do uso do bloqueador neuromuscular sobre a relação entre pressão parcial de oxigênio e fração inspirada de oxigênio (análise de variância; F: 12,9; p < 0,001) e o índice de oxigenação (análise de variância; F: 8,3; p = 0,004).

    Conclusão

    Houve forte correlação e concordância entre as duas classificações na população geral e nos subgrupos estudados, entretanto, há efeito significativo do uso do bloqueador neuromuscular sobre as classificações de gravidade da síndrome do desconforto respiratório agudo.

    Ver mais
  • Ponto de Vista

    Revolucionando o cuidado: o poder da avaliação geriátrica ampla na personalização do tratamento de pacientes frágeis necessitando de assistência pós-unidade de terapia intensiva

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240023en

    Resumo

    Ponto de Vista

    Revolucionando o cuidado: o poder da avaliação geriátrica ampla na personalização do tratamento de pacientes frágeis necessitando de assistência pós-unidade de terapia intensiva

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240023en

    DOI 10.62675/2965-2774.20240023-pt

    Visualizações466
    A fragilidade representa uma condição de vulnerabilidade que impede a recuperação adequada após um evento estressante, como uma doença ou lesão aguda. A recuperação inadequada resulta de uma depleção fisiológica cumulativa e multissistêmica ao longo da vida.() O estado de fragilidade indica que a reserva funcional disponível é insuficiente para possibilitar uma recuperação completa, normalmente […]
    Ver mais
    Revolucionando o cuidado: o poder da avaliação geriátrica ampla na personalização do tratamento de pacientes frágeis necessitando de assistência pós-unidade de terapia intensiva
  • Ponto de Vista

    “Enquanto seu lobo não vem”: o eco da globalização na demora de decisões familiares no cuidado intensivo

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240008en

    Resumo

    Ponto de Vista

    “Enquanto seu lobo não vem”: o eco da globalização na demora de decisões familiares no cuidado intensivo

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240008en

    DOI 10.62675/2965-2774.20240008-pt

    Visualizações59
    A globalização é um processo complexo, definido como o “encolhimento” do nosso mundo por meio de avanços tecnológicos e industriais; especificamente, indivíduos, povos e nações muito distantes entre si agora estão em contato e podem compartilhar pelo menos alguns aspectos de uma cultura “global”.() A globalização é multifacetada por natureza, afetando a sociedade economicamente, socialmente […]
    Ver mais
  • Artigo Original

    Abordagens alternativas para analisar dias livres de ventilador, mortalidade e duração da ventilação em estudos de cuidados intensivos

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240246en

    Resumo

    Artigo Original

    Abordagens alternativas para analisar dias livres de ventilador, mortalidade e duração da ventilação em estudos de cuidados intensivos

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240246en

    DOI 10.62675/2965-2774.20240246-pt

    Visualizações114

    RESUMO

    Objetivo:

    Discutir os pontos fortes e as limitações dos dias livres de ventilador e fornecer uma discussão abrangente dos diferentes métodos analíticos para analisar e interpretar esse desfecho.

    Métodos:

    Por meio de simulações, avaliou-se o poder de diferentes métodos analíticos, a saber: regressão quantílica (mediana), regressão logística cumulativa, comparação generalizada entre pares, abordagem condicional e abordagem truncada. No total, foram computadas 3.000 simulações de um estudo de dois braços com n = 300 por braço, usando uma hipótese alternativa bilateral e uma taxa de erro tipo I de α = 0,05.

    Resultados:

    Ao considerar o poder, a regressão mediana não teve bom desempenho em estudos em que o efeito do tratamento foi impulsionado principalmente pela mortalidade. A regressão mediana teve desempenho melhor em situações com efeito fraco na mortalidade, mas forte na duração, somente na duração e na mortalidade e duração moderadas. Verificou-se que a regressão logística cumulativa produziu um poder semelhante ao do teste de soma de postos de Wilcoxon em todos os cenários, sendo a melhor estratégia nos cenários de mortalidade e duração moderadas, mortalidade fraca e duração forte, e apenas duração.

    Conclusão:

    Neste estudo, descrevemos o poder relativo de novos métodos para analisar os dias livres de ventilador em estudos de cuidados intensivos. Nossos dados fornecem validação e orientação quanto ao uso do modelo logístico cumulativo, regressão mediana, comparações generalizadas entre pares e a abordagem condicional e truncada em cenários específicos.

    Ver mais
  • Correspondência

    Para: Associação entre área de secção transversa do reto femoral e excursão diafragmática com o desmame de pacientes com traqueostomia na unidade de terapia intensiva

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240131en

    Resumo

    Correspondência

    Para: Associação entre área de secção transversa do reto femoral e excursão diafragmática com o desmame de pacientes com traqueostomia na unidade de terapia intensiva

    Crit Care Sci. 2024;36:e20240131en

    DOI 10.62675/2965-2774.20240131-pt

    Visualizações24
    Ao Editor Lemos com interesse o estudo de coorte observacional, prospectivo, realizado em um único centro, sobre a relação entre o diâmetro da secção transversal do reto femoral, o grau de excursão diafragmática e o desfecho do desmame de 81 pacientes graves, realizado por Vieira et al.() Foi constatado que o sucesso do desmame da […]
    Ver mais

Busca

Pesquisar em:

Tipo de artigo
article-commentary
brief-report
case-report
correction
editorial
letter
other
rapid-communication
reply
research-article
research-article
review-article
Seção
Article
Artigo de Revisão
Artigo de Revisão de Pediatria
Artigo Especial
Artigo Original
Artigo Original – Pediatria
Artigo Original de Pediatria
Artigo Original Destaque
Artigos originais
Carta ao Editor
Carta Científica
Comentário
Comentários
Consenso Brasileiro de Monitorização e Suporte Hemodinâmico
Correspondência
Editorial
Errata
Ponto de Vista
Relato Clínico
Relato de Caso
Relatos de Caso
Resposta dos Autores
Revisão
Ano / Volume
2024; v.36
2023; v.35
2022; v.34
2021; v.33
2020; v.32
2019; v.31
2018; v.30
2017; v.29
2016; v.28
2015; v.27
2014; v.26
2013; v.25
2012; v.24
2011; v.23
2010; v.22
2009; v.21
2008; v.20
2007; v.19
2006; v.18
ISSUE

Tenha sua pesquisa publicada em nossa revista!

Publique sua pesquisa em um periódico de acesso aberto, com credibilidade e elevados padrões científicos e éticos.

Indexada em:

Apoio